Não perca 5 dicas de economia tributária para advogados

Contabilidade para advogados

Não perca 5 dicas de economia tributária para advogados

Os tributos consomem grande parte das receitas dos negócios brasileiros e isso também se aplica aos advogados. Por conta disso, é fundamental que eles estudem formas de obter economia tributária para garantir a competitividade de seus negócios no mercado.

Continue neste texto e entenda como é possível reduzir a carga tributária agindo de acordo com a lei, quais são as 5 melhores dicas para fazê-lo e como um contador pode ajudar no alcance desse objetivo. Boa leitura!

É possível gerar economia tributária dentro da lei?

A legislação tributária brasileira é bastante extensa, complexa e onerosa, mas ela também traz diversas disposições que podem ser aproveitadas pelos advogados. Entre elas, isenções, opções de regimes tributários, lacunas na legislação etc.

Todos esses atos estão previstos na lei ou não são proibidos por ela. Por isso, os advogados podem aproveitar deles para reduzir sua carga tributária legalmente.

A economia obtida pode ser convertida em inúmeros benefícios à empresa. Entre eles:

  • expansão dos serviços;
  • aumento da margem de lucro;
  • investimento em projetos;
  • contratação de novos setores.

Quais são as 5 melhores dicas de economia tributária para advogados?

Agora que você sabe que é possível conquistar economias sem infringir a lei, veja abaixo as táticas mais eficazes que podem ser aplicadas pelos profissionais do ramo.

1. Escolha o melhor regime tributário

As empresas brasileiras podem optar por três diferentes enquadramentos tributários na abertura do negócio ou os anos fiscais. São eles:

  • lucro real: os tributos incidem diretamente sobre o faturamento;
  • lucro presumido: a lei presume que parte da receita bruta é destinada aos lucros e os tributos incidem sobre essa presunção;
  • simples nacional: destinado às micro e pequenas empresas; a forma de tributação é simplificada e as alíquotas reduzidas.

Nem sempre o simples nacional será o melhor regime para o escritório. É necessário ter o apoio de contadores para que eles realizem simulações e identifiquem a opção mais econômica ao advogado.

2. Entenda as diferenças entre sonegação e elisão

Para evitar problemas com o fisco e a ocorrência de crimes tributários, é muito importante diferenciar os atos de evasão (sonegação) e elisão fiscal. Entenda melhor:

  • evasão: é uma atividade ilícita em que inclui a omissão de informações do Fisco, falsificação de documentos e declarações falsas;
  • elisão: trata-se do uso de lacunas, omissões ou benefícios na lei para reduzir a tributação legalmente.

3. Faça um bom planejamento tributário

Esse planejamento é um conjunto de estudos que objetivam reduzir a carga tributária do negócio. De modo geral, ele busca alcançar esse objetivo de três formas:

  • evitar a incidência de determinado imposto;
  • reduzir os valores totais a serem recolhidos;
  • retardar o pagamento de um tributo sem a incidência de multas.

4. Reduza o pró-labore

O pró-labore é uma forma de remunerar os sócios ou gestores pelo trabalho realizado no negócio. Porém, contribuições previdenciárias incidem nesse tipo de pagamento, o que é bastante oneroso às contas da empresa.

Uma estratégia para economizar nesses pagamentos é diminuir o pró-labore e aumentar a participação dos lucros, já que não há incidência desses encargos.

5. Separe as finanças pessoais do negócio

Não separar as contas pessoais da empresa é um dos maiores erros que podem ser cometidos pelos advogados gestores. Isso inviabiliza a identificação das receitas e despesas, desequilibrando suas contas. O advogado deve estabelecer uma certa quantia do faturamento como sua remuneração e usar o restante somente a favor do negócio.

Como um contador pode ajudar na economia tributária?

Um bom serviço contábil auxilia o advogado de inúmeras maneiras. Os serviços prestados por esses profissionais, entre diversos outros, são:

  • simulação dos tributos da empresa para identificar o regime tributário mais adequado;
  • explicação das situações que não configuram evasão, mas sim elisão fiscal;
  • realização do planejamento tributário adequado ao negócio;
  • cálculo da melhor forma de realizar o pagamento dos sócios e funcionários;
  • auxílio nas finanças pessoais e do negócio.

A economia tributária pode ser obtida de diferentes formas pelos advogados, mas é importante contratar uma empresa de contabilidade especializada para não incorrer em ilícitos e tomar as decisões mais vantajosas possíveis para o negócio.

Gostou deste post? Ele também pode ser útil aos seus colegas e parceiros! Aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais!

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *