Entenda a importância de realizar o planejamento financeiro pessoal

planejamento financeiro pessoal

Entenda a importância de realizar o planejamento financeiro pessoal

Elaborar um bom planejamento financeiro pessoal é uma estratégia poderosa para quem deseja realizar seus sonhos e alcançar o sucesso em seu negócio. Aquele que não entende a importância disso poderá ter muitos problemas futuros.

Todo profissional de sucesso deve ter os seguintes conhecimentos acerca do planejamento: conhecer sua importância prática, saber como elaborá-lo, separar as contas de pessoas física e jurídica e manter um bom controle de ambas. Confira tudo isso neste post!

Qual a importância de fazer o planejamento financeiro pessoal?

Todo mundo tem planos e desejos para a vida, por exemplo, é comum querer aumentar o patrimônio e/ou imóvel próprio, realizar grandes viagens, poupar para investir na educação dos filhos, aposentar com tranquilidade, entre outras ambições.

Entretanto, não será possível manter a saúde financeira em longo prazo, caso seus gastos sejam descontrolados e você não consiga poupar uma parte do seu salário para cumprir com os objetivos. Isso é resolvido quando há um bom planejamento financeiro, pois, por meio dele, será possível aumentar o controle e alcançar suas metas.

Como fazer o planejamento na prática?

Para criar um bom plano e não se perder durante seu desenvolvimento, siga as dicas que separei.

Acompanhe suas receitas e despesas

A primeira e mais importante dica consiste no acompanhamento de suas receitas (entradas de dinheiro) e despesas (todas as saídas), que deve ser feito, no mínimo, mensalmente. Para tanto, use um caderno ou software com tabelas, onde serão alocados todos os seus ganhos e gastos de todos os meses, incluindo despesas fixas e variáveis.

Isso é fundamental para os próximos passos, pois permitirá que você saiba quais gastos podem ser cortados ou reduzidos, bem como quanto é possível reservar mensalmente para poupar ou investir.

Compre somente o que for necessário

Ao acompanhar as despesas, muitas pessoas se assustam quando percebem seus gastos elevados, isso ocorre porque há muitas compras rotineiras que são completamente supérfluas, que não fazem diferença em sua vida. Alguns exemplos são lanches esporádicos, compras impulsivas de roupas que você não usará etc.

Você se surpreenderá quando perceber a economia que pode ser adquirida!

Compare preços antes de comprar

Sempre compare preços antes de fazer compras e prefira a opção que for mais econômica, mesmo que a diferença pareça pequena à primeira vista — como de 10% e 20% — isso trará uma grande economia em longo prazo.

Prefira compras à vista

É comum, na cultura brasileira, realizar várias compras parceladas, mas esse é um mal para as suas finanças, já que compromete grande parte de seu salário, o que gera uma bola de neve, fazendo que isso consuma cada vez mais do seu orçamento.

Por essa razão, sempre dê preferência para compras à vista, inclusive, comece a juntar dinheiro por algumas semanas ou meses para adquirir algo.

Elabore metas

Essa dica consiste em determinar metas para o dinheiro poupado. Elas podem ser de curto, médio e longo prazo e variar desde viagens nas férias até aquisição de um imóvel.

Além disso, recomendamos que uma das metas seja destinar parte dos seus rendimentos para investimentos, já que rendem muito mais que a poupança.

Por que separar as contas de pessoa física e jurídica?

Essa é uma dica de planejamento financeiro que merece uma atenção especial. Se possui um negócio próprio, é fundamental que sejam criadas duas contas diferentes: uma para você e outra para a empresa.

A primeira é destinada para despesas cotidianas da sua vida, enquanto a segunda somente se relaciona às receitas e gastos do negócio. Isso evita muitos empecilhos, como:

  • problemas com a Receita: quando todos seus ganhos poderão ser tributados como pessoa física (o que é muito mais custoso);
  • perda do controle financeiro da empresa: quando você não sabe onde estão as maiores despesas do negócio para minimizá-las, bem como as receitas para maximizá-las;
  • falta de planejamento: quando você não consegue planejar o desenvolvimento da empresa;
  • confusão patrimonial: caso sua empresa contraia dívida, é possível que você tenha que pagá-la com seus bens pessoais.

Como fazer a separação e manter o controle financeiro de ambas?

O modo mais comum de separar as contas é por meio da formalização do negócio e abertura uma conta-corrente pessoa jurídica, assim, fica mais fácil controlar sobre a movimentação de dinheiro da sua empresa.

Ainda, é necessário determinar um salário fixo para sua pessoa física e deixar parte dos lucros para a empresa, isso evita confusão perante a Receita e permite que você construa uma reserva financeira para sua pessoa jurídica.

É inegável que fazer o planejamento financeiro pessoal é fundamental para alcançar seus objetivos pessoais e obter crescimento profissional. Para isso, basta que você tenha muita organização, separe as contas de pessoa física e jurídica e mantenha um bom controle de ambas.

Gostou do conteúdo e quer descobrir mais? Assine já a nossa newsletter para receber novidades no seu e-mail! É gratuito!

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *